O CIAAT (Centro de Informação e Assessoria Técnica) já cadastrou 117 nascentes na Bacia do Piranga – MG, ultrapassando a meta de 100 nascentes previstas para recuperação. O trabalho está sendo realizado no município de Ponte Nova, abrangendo as comunidades de Manoel Lucas, Vau-Açu, Sítio Bananal, Bom Será, Massangano, Usina Santa Helena, Cheiro Verde e Dioguinho.

A recuperação das nascentes será financiada pela Fundação Renova, por meio do Programa de Recuperação de Nascentes e Educação Ambiental. O programa é um dos 42 gerenciados pela Fundação para revitalização e recuperação do Rio Doce, após o rompimento da barragem do Fundão, em novembro de 2015.

O CIAAT foi contratado para fazer a mobilização social dos produtores rurais na região em março deste ano e os trabalhos de campo começaram em abril. O Analista de Campo do CIAAT, Flávio Teodoro, relata que a aceitação dos produtores na região superou as expectativas. “A aceitação pelos produtores e proprietários ao programa tem sido expressiva, sendo a demanda maior que a meta estipulada. Contudo, a aceitação dos produtores tem uma relação com a vontade de que haja ações de recuperação para além do cercamento, apoio técnico para produção e adequações ambientais sustentáveis”, disse.

Após um levantamento de possíveis proprietários que possuíam nascente em suas propriedades, os técnicos visitaram as propriedades, convidando os moradores para a apresentação coletiva do programa. Ao término da reunião de apresentação coletiva, os produtores que manifestaram interesse em participarem do programa, preencheram uma ficha cadastral para receberem uma visita técnica para a validação das nascentes.

Nesta etapa do programa, o técnico visita a propriedade e caminha junto com o produtor até o local da nascente. O técnico registra a classificação da nascente e marca o ponto exato pelo GPS. Para a Analista de Campo, Viviane Angelo, uma das maiores dificuldades dessa etapa é o difícil acesso para chegar às nascentes.

 

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn
INSTAGRAM