Até o mês de maio, o Governo já tinha liberado 169 agrotóxicos somente em 2019. Nesta segunda-feira (24), o Diário Oficial da União (DOU) publicou a autorização para uso de mais 42 novos produtos no país, batendo o record de pesticidas liberados pelo Governo Federal. Desde janeiro, o Ministério da Agricultura já liberou 239 itens.  

Na lista, há produtos que são totalmente proibidos na União Europeia e vários definidos como “muito perigosos para o meio ambiente” segundo o próprio Governo.  O Brasil é um dos países que mais consomem agrotóxicos no mundo, representando 20% do mercado mundial.  

A Ministra da Agricultura, Tereza Cristina (DEM), atribuiu as liberações recordistas neste ano a critérios “técnicos” que eram barrados em governos anteriores por conta de “processo ideológico”. Ativistas do meio ambiente e profissionais da saúde manifestam preocupação, afirmando que a população está sendo envenenada por uma grande quantidade de produtos tóxicos.   

Segundo dados do Greenpeace, divulgados pelo G1, 30% dos agrotóxicos liberados no país já foram vetados no continente europeu. A liberação do uso de pesticidas vem crescendo no país desde 2016, mas tem aumentado consideravelmente em 2019.  

Dos 169 agrotóxicos que foram registrados até o mês passado, nenhum é inédito.  Mais da metade (52%) são cópias de princípio ativos que eram usados anteriormente, 15% são produtos finais e 28% genéricos.  

O Greenpeace divulgou que desse total, 48% são classificados como alta ou extremamente tóxicos, sendo 25% dos produtos proibidos no bloco europeu.  Outros 440 processos de pedidos de liberação de agrotóxicos já foram encaminhados ao Governo, que ainda precisam passar por etapas burocráticas até a liberação.  

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn
INSTAGRAM