A Produção Agroecológica Integrada Sustentável (PAIS) é uma tecnologia social de produção irrigada voltada à agropecuária de pequeno porte, composta por um galinheiro central e canteiros em forma circular, piquetes para pastejo das pequenos animais (como galinhas caipira e patos), quintal com plantas frutíferas, nativas ou ornamentais e viveiro de mudas, conduzidos de acordo com os princípios da agroecologia.

O agricultor é estimulado a comercializar os alimentos produzidos, frutas e hortaliças, além de plantar árvores nativas de sua região. Além de promover a segurança alimentar e nutricional, que é um grande ganho para as famílias, o PAIS permite um aumento na renda familiar do agricultor. O modelo convida os agricultores familiares ao desenvolvimento sustentável buscando: 1) estimular a agricultura orgânica por meio de processo produtivo sem o uso de agrotóxico; 2) reduzir a dependência de insumos vindos de fora da propriedade; 3) apoiar o correto manejo dos recursos naturais; 4) incentivar a diversificação da produção; 5) evitar o desperdício de alimento, água, energia e tempo do produtor; 6) gerar trabalho e renda.

A proponência e coordenação geral do projeto estava a cargo da Associação Incubar, administradora da Incubadora de Cooperativas Populares Rio Doce (ICP/Rio Doce).  Durante o projeto, o CIAAT foi responsável pelo monitoramento e avaliação das atividades, processos e resultados, e também por medir sua efetividade, eficiência e eficácia. Ao todo, foram 51 unidades, sendo 31 em Governador Valadares e 20 no município de Conselheiro Pena. As primeiras unidades foram implantadas em outubro de 2011, por meio de mutirão de trabalho entre os agricultores beneficiados.

Os critérios de seleção das famílias envolveram características físicas da área disponível, perfil sócio-econômico e número de membros da família, ações agroecológicas já aplicadas pelo pequeno agricultor e o compromisso com a metodologia PAIS.

O valor do projeto captado pelo Centro de Informação e Assessoria Técnica junto à Fundação Banco do Brasil totalizou cerca de R$ 500 mil. O recurso foi destinado à compra de ferramentas, materiais e insumos para a instalação das 51 unidades do PAIS, técnicos, encargos sociais, capacitações e treinamentos, entre outros. A equipe técnica do projeto PAIS era formada por quatro agrônomos e um administrador.

PAIS no Brasil

O PAIS passou a ser adotada em 1999 em uma pequena propriedade do município de Petrópolis, no Rio de Janeiro. Entre 2005 e 2011, a Fundação Banco do Brasil investiu, em parceria com o Sebrae, Ministério da Ciência e Tecnologia, Petrobrás e o Ministério da Integração Nacional, mais de R$ 27 milhões na reaplicação da técnica. Desde 2009, a tecnologia PAIS ganhou reforço do BNDES, que investiu outros R$ 21 milhões. Atualmente, existem quase 8 mil unidades do PAIS em 18 Estados e no Distrito Federal e entorno, divididas entre concluídas ou em conclusão, além de outras 2 mil unidades, que são administradas por outras instituições.

Compartilhe:
Facebook
Twitter
LinkedIn
INSTAGRAM